Home

22102009256Escrevi um outro  texto que desapareceu da tela por que fui desconectado da internet. Tinha muito mais informação.

Enfim em três dias vamos começar a captar ( vai ser em digital).

Esse filme teve uma pré-produção difícil para mim por que trabalhamos com dois elencos em duas cidades distantes uns 500 quilometros um do outro. Um elenco principal formado por atores uruguaios com muita experiência de teatro e um ator espanhol com experiência em cinema e televisão. Um elenco de apoio formado por pessoas locais sem nenhuma experiência de cinema mas com a experiência que a vida lhes deu.

O tema é do filme é a Terra, a identidade, as relações humanas…

A nossa locação principal está no meio de uma fazenda. É um lugar maravilhoso.

Além do que está escrito nos livros de história queremos dar uma dimensão humana destes fatos históricos que são determinantes na história do Uruguai. Ou pelo assim quis a história oficial nos contar. É o nascimento da nação, não foi o movimento que de fato deu independência ao Uruguai mas foi o fato que criou deu as bases ideológicas da nação. Artigas representa tudo que o uruguaio almeja para seu país. Principalmente a Igualdade.

Aqui em Tacuarembó ele é tido como um heroí, um homem que soube olhar para os mais necessitados e soube captar o espírito do Gaucho, do vaqueiro livre.

Para todos um grande desafio e um aprendizado. Dificuldades de toda sorte. Pouco dinheiro para um filme com dimensões de um épico. Muita responsabilidade pelo fato de que nunca se tentou retratar essa personagem no cinema. Muitos dados contraditórios, muitos pontos de vista e muita confusão por que o fato histórico se situa num momento de crise caminhando para o caos.

Nessas 3 semanas aprendi muito sobre a história, o suficiente para contar a história que quero contar.

Mas esse não é um filme histórico…é um filme político.

As cenas principais são em torno de uma fogueira em que se travam os debates sobre os fatos históricos, sobre as necessidade de cada um, sobre a terra, a identidade, onde se revela que a idéia de comunidade não é sempre harmonia e que os interesses de grupos prevalecem. São as cenas críticas em que vamos tentar fugir do recitativo, do épico, do chato que é ouvir um bando de gente falando sem muita ação.

Nessa semana enfrentei a maior crise até agora. Os atores sentiram o peso do que vão fazer e se sentiam despreparados, confusos, intimidados pela responsabilidade de terem de confirmar o que existe escrito nos livros de história. Enfim eles se sentiam numa camisa de força.

Fomos para a locação buscar energia para eles e eu uma estratégia para canalizar o fluxo humano que estava transbordando. Literalmente entre montes de bosta travamos uma batalha com a nossa insegurança e ansiedade saindo vitoriosos e com confiança. Para tanto usei um artifício de experimentar seu personagem sem avisar os companheiros e ver se eles entram no jogo. Foi ótimo. Alcançamos a qualidade de atuação que quero para o filme. E eles entenderam que eles não precisam se carregar com toda a responsabilidade da recriação histórica mas simplesmente se envolver em debates, ações e um vivenciar lugar que está pronto para eles.

08102009255

O texto que segue escrevi há mais de três semanas atrás…

Segunda feira desembarco em Montevideo para terminar a preparação de La Redota que é o nome do filme sobre o Artigas. A Marina fez a primeira parte e terminou nesse fim de semana. A parceria é boa e fico feliz de ter investido nela.

É o primeiro filme histórico que faço. É a história de um sonho que hoje não tem mais espaço de acontecer: A Revolução. Se bem que Artigas não consegui terminar sua revolução, ver implantado seu projeto de uma república democrática e igualitária, onde um Homem é um voto e todos tem o mesmo valor.
Francamente inspirado na revolução norte americana e nos seus ideais a revolução de Artigas é uma luta contra todos: Espanhoís, Portugueses, Ingleses, Argentinos. E por todos as minorias os Gauchos, os Criollos (são os locais), os Indígenas, os Africanos… É um movimento sem uma ideologia pré estabelecida e que nasce de uma revolta contra os que governam a colônia mas não contra a Coroa Espanhola. Ganha força quando a Coroa Espanhola se divide em três e os Portugueses resolvem invadir a Colônia para conseguir mais terra. Enfim é um momento caótico naquele pequeno território.
Eu confesso que não sou um especialista nesse período histórico estou aprendendo com o filme.
O que eu sei que estamos numa época que em nada assemelha ao que retrataremos.

3 pensamentos em “Preparando Artigas

  1. Mais um comentario maldito de mae. Ultimo paragrafo, ultima frase voce diz “nao precisam SE CARREGAR de toda a responsabilidade…..
    Se carregar, nao eh portugues, nao se pode se carregar (a si proprio) com a responsabilidade (de fatos criados por outros). SE … e reflexivo .
    Agora, a mae de verdade diz: pena que o outro texto se perdeu. Devagar vc ira comp[letar esse 2nd texto. Fico orgulhosa com seu trabalho.
    Bjs, Mom

  2. Chris, é um prazer estar com você neste filme, conhecer o teu trabalho, o teu envolvimento com o processo, é admirável; eu diria que é um prazer! aliás o mais bacana é o resultado que a gente vê no material filmado, antes disso no desempenho das pessoas/atores ou não-atores. Parabéns, é muito importante o que vc faz. Obrigada. Carla

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s